Deterioração de Bioprótese

Ensinamentos do PARTNER 2

A boa e velha discussão a respeito da durabilidade das biopróteses ganha novos capítulos a cada ciclo de 2-5 anos, desde que foram publicados os seminais trabalhos que compararam cirurgia convencional com TAVI na estenose aórtica sintomática.

Recentemente os olhos do mundo se viraram para o PARTNER 3 e os pacientes de baixo risco, mas é importante lembrar que a segunda edição desse trial completou recentemente 5 anos e pode nos trazer valiosas informações da durabilidade de biopróteses numa coorte de risco cirúrgico intermediário.

Talvez a informação mais interessante que esses 5 anos nos trouxeram foi de que a geração anterior da prótese da Edwards degenerava mais rápido do que a atual, que tem durabilidade igual às biopróteses de alta performance implantadas por via convencional.

No entanto ver essa definição nos faz imaginar um folheto calcificado e roto, mas não foi bem assim. A maior parte dessa necessidade de reabordagem/falência se deu a presença de Leaks maiores do que moderados.

Aqui vale relembrar os conceitos de degeneração de bioprótese, dividida em 3 estágios de gravidade e a falência de bioprótese, que culmina com desfechos importantes como morte ou reintervenção.

O fato da Sapien 3 ter um desenho mais avançado, provavelmente foi o responsável pelo sensível incremento em durabilidade. Aqui elenco alguns desses fatores: bainha redutora de leak, o que reduziu a pós-dilatação; folhetos supraanulares com menor stress hemodinâmico; melhor desenho das hastes de sustentação com melhor expansão e menor stress de cisalhamento e menor incidência de superdimensionamento como na geração anterior.

Mais uma vez chegamos a conclusão de que as próteses de alta performance, tanto de implantação via transcateter como via convencional parecem ter durabilidade semelhante e os fatores de risco convencionais que impactam nessa longevidade se reafirmam publicação após publicação. E fica claro também que as próteses iniciais têm desenho hemodinâmico pior, portanto, durabilidade menor.

Literatura Sugerida:

1 – Pibarot P, Ternacle J, Jaber WA, et al; PARTNER 2 Investigators. Structural Deterioration of Transcatheter Versus Surgical Aortic Valve Bioprostheses in the PARTNER-2 Trial. J Am Coll Cardiol. 2020 Oct 20;76(16):1830-1843.


 Baixar Artigo 

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar