Obesidade e IT

O paradoxo…

A obesidade é conhecidamente como um fator de risco para desfechos cardiovasculares negativos. Também sabemos e já abordamos em outras oportunidades que em determinadas valvopatias, a obesidade pode ser fator de risco e um “acelerador” evolutivo, como na estenose aórtica.

Estudos populacionais mostram que indivíduos obesos apresentam dilatação e remodelamento do VD semelhante a pacientes portadores de insuficiência tricúspide moderada ou importante e entender os impactos disso ainda é motivo de debate.

Em recente análise populacional de pacientes obesos, foi visto que aqueles que tinham insuficiência tricúspide importante e apresentavam IMC elevado tinham maiores volumes diastólicos finais, ou seja, VD’s mais dilatados, mas tinham função contrátil ventricular preservada.

A explicação para esse remodelamento, provavelmente se encontra no fato de termos uma elevada pré-carga por duas razões: a regurgitação e o volume circulante elevado pelo elevado IMC.

O que mais intrigou nos achados de follow-up desses pacientes foi o fato de que IMC elevado foi prognóstico positivo de sobrevida. Em outras palavras, quem tinha IMC elevado e IT importante vivia mais do que quem tinha IMC normal e IT importante.

Algumas especulações para tentar explicar isso abordam possíveis citocinas protetoras produzidas pelo tecido adiposo ou manifestação mais cedo de sintomas levando a uma abordagem mais precoce, o que evidentemente são explicações muito frágeis.

Talvez uma das explicações seja que a evolução natural da IT importante se faça com caquexia cardíaca e isso torne o indivíduo obeso com mais reserva para tolerar, mas também essa é uma teoria muito discutível.

O mais provável é que tenhamos a presença de um viés confundidor levando a uma falsa associação de proteção, mas ainda não temos o conhecimento sobre esses aspectos.

Outro fator que não foi levado em consideração foi a presença de apneia obstrutiva do sono que sabidamente pode elevar a pressão da artéria pulmonar e ter impacto direto no lado direito do coração.

Em resumo, pacientes obesos tem maiores dilatações do VD e maiores massas, mas não há perda de função contrátil apenas pela obesidade e isso parece não ter impacto negativo sobre a sobrevida, sendo inclusive protetor…

Literatura Sugerida:

1 – Dietz MF, Prihadi EA, van der Bijl P, et al. The Obesity Paradox in Patients with Significant Tricuspid Regurgitation: Effects of Obesity on Right Ventricular Remodeling and Long-Term Prognosis. J Am Soc Echocardiogr. 2021 Jan;34(1):20-29.


 Baixar Artigo 

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar