Reabilitação cardíaca na doença valvar

Há evidência de benefício?

A reabilitação cardíaca é um programa de treinamento com exercícios supervisionados, associado a um extenso programa de apoio psicossocial e reintegração do portador de cardiopatia. Teve início nos pacientes portadores de doença coronariana que se submetiam a cirurgia de revascularização miocárdica e recentemente estamos vendo sua indicação ser mais difundida.

Dados mais recentes mostram que os efeitos benéficos ocasionados nos pacientes após cirurgia de revascularização parecem ser semelhantes nos pacientes portadores de doença valvar que passam por intervenção cirúrgica, no entanto, de forma global, menos da metade de todos os pacientes portadores de cardiopatias são matriculados em programas como esses.

No Brasil a realidade é ainda pior, pois além de escassos os serviços que oferecem esse programa, o mesmo é extremamente caro e não coberto pelos seguros de saúde mais importantes no nosso país. Poucos serviços públicos têm estrutura para esse oferecimento e apresentam poucas vagas para novos pacientes.

Nos Estados Unidos existe uma disparidade em relação a condição social, sendo que aproximadamente 25% dos indivíduos submetidos a cirurgia de valva mitral ou aórtica estão matriculados em programas de reabilitação, com incidência maior nos bolsões mais ricos do país.

A alta prevalência na participação das sessões de treinamento está diretamente relacionada a melhora de sobrevida, capacidade funcional e menores taxas de reinternações ao longo de 1 ano. Pacientes que estavam presentes em pelo menos 32 das 36 sessões foram os mais beneficiados com o programa.

Algumas razões foram encontradas para justificar esses bons resultados como melhor aderência ao tratamento medicamentoso, vigilância mais de perto de equipe médica antes que o paciente apresentasse alto grau de deterioração clínica, além da óbvia melhora no treinamento assistido a qual esses indivíduos são submetidos.

Após as 36 sessões oferecidas no programa, o paciente era aconselhado a manter o treinamento, agora fora do ambiente hospitalar, como em parques e academias, com orientação a distância da equipe médica e sempre sendo assistido por profissional de educação física, o que fazem os bons resultados serem mantidos a longo prazo.

Definitivamente a reabilitação cardíaca tem impacto positivo nesses pacientes, associada a uma melhora do padrão nutricional e uma abordagem multiprofissional que causam avanços em diversos aspectos do paciente cardiopata, levando a uma longevidade maior e o principal, com melhor qualidade de vida.

Literatura recomendada

1 – Patel DK, Duncan MS, Shah AS, et al. Association of Cardiac Rehabilitation With Decreased Hospitalization and Mortality Risk After Cardiac Valve Surgery. JAMA Cardiol. 2019 Oct 23.


Baixar Artigo

 

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar