Plastia Tricúspide

Em IM isquêmica

A correção concomitante de uma regurgitação tricúspide maior do que moderada ou na presença de um anel valvar dilatado é clara nas atuais diretrizes, quando se aborda alguma lesão do lado esquerdo do coração.

No entanto, diversas são as condições hemodinâmicas que uma lesão do lado esquerdo causa e a percepção de que se isso impacta nessa regra ainda é incerta.

Algumas publicações, inclusive, defendem que essa progressão da lesão tricuspídea está mais relacionada a um acometimento primário discreto ou um insulto hemodinâmico na vigência da lesão valvar a esquerda, tendo sua evolução não bem estabelecida.

Em pacientes com lesão mitral regurgitativa de etiologia isquêmica, entender o comportamento da regurgitação tricúspide pode trazer alguns insights interessantes do comportamento da anatomia e função do lado direito.

Aparentemente, os achados nesse nicho específico de pacientes mostram que a progressão da lesão tricuspídea é menor do que nas outras etiologias. Outro dado conflitante é que o tamanho do anel não esteve correlacionado com um pior prognóstico, situação também clara em outras etiologias.

Para tentar explicar esses achados e melhorar a estratificação dos pacientes, algumas teorias foram consideradas. Talvez, por serem pacientes isquêmicos, uma revascularização cirúrgica tenha algum impacto positivo na motilidade do ventrículo direito e isso demonstre melhora na evolução do funcionamento valvar.

Únicas situações que demonstraram evolução da insuficiência tricúspide foram aqueles com correção inadequada da insuficiência mitral e recorrência ao longo dos anos e aqueles que implantaram marcapasso, sendo o eletrodo o principal responsável pela disfunção valvar.

Vale ressaltar que o status volêmico dos pacientes e a compensação de uma eventual insuficiência cardíaca interferem na quantificação momentânea da disfunção da valva tricúspide, podendo ser um viés em alguns trabalhos que analisaram esses pacientes.

O que hoje é uma regra clara, pode não ser no passar dos anos devido a um maior estudo e entendimento da fisiopatologia das lesões valvares. Como estamos vivendo um verdadeiro boom de publicações na área, estar atualizado e acompanhando tudo sobre cardiopatia estrutural é fundamental.

Literatura Sugerida: Bertrand PB, Overbey JR, Zeng X, et al. Cardiothoracic Surgical Trials Network (CTSN). Progression of Tricuspid Regurgitation After Surgery for Ischemic Mitral Regurgitation. J Am Coll Cardiol. 2021 Feb 16;77(6):713-724.

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar