Análises do COAPT

“Hiper-Respondedores”

Os resultados do COAPT mudaram a forma de encarar o tratamento da insuficiência mitral de etiologia funcional para alguns tipos de pacientes. A simples análise, já quase esgotada, entre os pacientes do COAPT e do MITRA-FR já lançou questionamentos sobre coortes distintas com a mesma valvopatia.

Não é de hoje que os estudos em pacientes portadores de miocardiopatia dilatada de diversas etiologias se concentram em buscar quais aqueles que deveriam responder bem a determinada terapia. Aqui citamos os respondedores ao tratamento clínico, à ressincronização ventricular e agora discutimos os respondedores ao implante de MitraClip.

Para tentarmos entender o impacto do MitraClip de forma isolada, buscou-se isolar os pacientes entre super-respondedores, respondedores e não-respondedores. Dentre os respondedores, os pacientes não poderiam ter sido internados com IC descompensada após a entrada no trabalho e o questionário de Kansas deveria ter melhorado até 20 pontos para os respondedores e mais do que 20 para os super-respondedores.

Nesse subgrupo de pacientes, o tratamento com implante de MitraClip mostrou melhor resultado, tendo mais pacientes quando comparado com o tratamento clínico isolado.

Os níveis séricos de creatinina também se mostraram significativos nessa evolução. Àqueles com melhores taxas de filtração evoluíam melhor com o implante, ficando a dúvida, seria esse marcador uma variável real ou apenas um marcador de gravidade da doença.

Outro aspecto que pode ser levantado é que aqueles com creatininas mais elevadas podem não ter recebido o tratamento clínico otimizado da mesma forma por determinadas contraindicações e isso pode ter impactado no resultado final.

Como o COAPT foi publicado no final de 2018, nessa época o uso de sacubitril-valsartana e até mesmo da ivabradina não tinham tamanha indicação como atualmente, o que pode ter impacto numa nova realidade do tratamento clínico otimizado recente.

Dessa forma, entender mais do que simplesmente se o paciente tem ou não uma insuficiência mitral desproporcional é fundamental para escolhermos o grupo certo para encaminhar para a intervenção. Afinal a intenção de uma adequada seleção é buscar somente os respondedores. Melhor ainda se forem super-respondedores…

Literatura Sugerida:

1- Hahn RT. Super-Responders and Nonresponders in the COAPT Trial: Not as Simple as Clip or No Clip. J Am Coll Cardiol. 2020 Sep 1;76(9):1015-1017.

2 – Grayburn PA, Sannino A, Cohen DJ, et al. Predictors of Clinical Response to Transcatheter Reduction of Secondary Mitral Regurgitation: The COAPT Trial. J Am Coll Cardiol. 2020 Sep 1;76(9):1007-1014.


 Baixar Artigo  Baixar Artigo

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar