Disjunção de Anel Mitral

Lobo em pele de Cordeiro

A disjunção de anel mitral é uma alteração estrutural, encontrada em pacientes com degeneração mixomatosa da valva mitral e está agregada a maior risco de eventos arrítmicos.

Mais localizada na parede ínfero-lateral, justaposto ao anel mitral, só aparece durante a sístole ventricular como uma separação do músculo do VE do anel mitral e parede atrial.

Uma dúvida ainda reside sobre a formação de MAD, trata-se de uma alteração congênita, manifestada em conjunto com a deterioração mixomatosa da valva mitral ou é uma alteração adquirida, como se fosse um desgaste local nesse grupo de pacientes?

Interessante notar que alguns pacientes podem ter MAD sem essa alteração degenerativa valvar, embora seja muito raro. Ainda não podemos afirmar que se trata da mesma síndrome, mas com manifestações fenotípicas algo distintas.

Uma recente meta-análise levantou a hipótese de que em um paciente que apresentou PCR sem causa definida e foi visualizada uma MAD, poder-se-ia atribuir a isso uma causa arrítmica da parada.

Algumas publicações tentam estratificar o risco de eventos cardiovasculares de acordo com o tamanho e morfologia da disjunção. Áreas maiores de acometimento estariam associadas a maior probabilidade de arritmia e fibrose, vista pelo realce tardio na ressonância.

Partindo de indivíduos com hipermobilidade dos segmentos basais do VE, inclusive analisando o sinal de Picklehaube (>16cm/s) no segmento basal da parede ínfero-lateral até valores de MAD acima de 5cm (8,5cm nas maiores publicações), o risco de eventos vai se elevando.

No entanto, o que há de mais consolidado na literatura sobre essa alteração estrutural é que na sua presença, associada a fibrose dos músculos papilares e degeneração mixomatosa da valva mitral, há grande probabilidade de evento arrítmico ventricular maligno e devemos investigar a fundo esses casos.

Não é tão comum encontrarmos na nossa prática diária, mas só acha quem pesquisa e só pesquisa quem conhece.

Literatura Sugerida:

1 – Bennett S, Thamman R, Griffiths T, et al. Mitral annular disjunction: A systematic review of the literature. Echocardiography. 2019 Aug;36(8):1549-1558.


 Baixar Artigo 

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar