MitraClip na Insuficiência Tricúspide

Nova abordagem

Pacientes com insuficiência tricúspide apresentam sobrecarga volumétrica em câmaras direitas trazendo morbimortalidade evolutiva. No entanto, os guidelines atuais indicam que o tratamento cirúrgico deve ocorrer em caso de valvopatia primária sintomática, tendo o maior exemplo o acometimento reumático ou em casos de indicação de correção cirúrgica do lado esquerdo do coração, sendo procedida a plastia ou troca valvar tricúspide concomitante.

Em casos de acometimento isolado de uma insuficiência tricúspide funcional, o tratamento cirúrgico não estaria recomendado por não apresentar melhora na sobrevida, exceto em situações refratárias a diureticoterapia e que evoluam com clínica de insuficiência cardíaca direita franca.

Diante desse cenário, alguns intervencionistas começaram a realizar a correção transcateter com MitraClip para a correção da insuficiência tricúspide, visto se tratar de procedimento menos agressivo. De forma comparativa ao tratamento da valva mitral, o implante de um clip Edge-to-Edge pode levar ao surgimento de gradientes diastólicos não desejados, podendo ter impacto negativo na sobrevida dos pacientes.

Devices implantados na valva mitral que levem a um gradiente pós-procedimento de 5 mmHg levam ao surgimento de sintomas e complicações advindas dessa estenose funcional iatrogênica. Do lado direito do coração, a realidade é um pouco diferente. Trata-se de ambiente de pressões menores sendo o implante, habitualmente bem-sucedidos e com gradiente menor do que 2mmHg. Valores acima de 3mmHg são incomuns e mesmo assim, aparentemente não apresentam desfechos negativos quando comparados ao restante do grupo de pacientes tratados. Mesmo sendo necessário maior número de devices implantados para reduzir o grau da regurgitação para discreto, raramente são vistos gradientes elevados nesses pacientes.

De forma direta, o tratamento com dispositivo Mitraclip na insuficiência tricúspide parece ser seguro e pode, em casos selecionados, ter resultados interessantes. Tecnicamente parece ser mais complexo o implante de maior número de dispositivos, mas as complicações inerentes como aumento do gradiente diastólico são raros e não parecem ter impacto negativo na evolução do quadro.

Literatura recomendada

1 – Orban M, Orban MW, Braun D, et al. Clinical impact of elevated tricuspid valve inflow gradients after transcatheter edge-to-edge tricuspid valve repair. EuroIntervention. 2019 Dec 20;15(12):e1057-e1064.


Baixar Artigo 1

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar