TAVI via transcaval

Conhece essa via de acesso?

O implante transcateter de uma prótese aórtica, também conhecido como TAVI tornou-se procedimento difundido mundo a fora inclusive com as recentes publicações nos pacientes de baixo risco cirúrgico.

A abordagem transfemoral, na grande maioria das coortes estudadas foi a que apresentou melhores resultados evolutivos, tendo indicação com maior evidência do que os acessos torácicos como o transapical ou através da subclávia ou axilar.

E em caso de impossibilidade de utilizar essa via de acesso?

Em 2014 uma nova via de acesso foi aventada como possibilidade em pacientes com extensa doença vascular: a via transcaval. Inicialmente o acesso ocorre por via venosa femoral e quando o guia se encontra na veia cava inferior, ocorre transfixação através do espaço retroperitoneal para a artéria aorta e, então, segue-se até a altura da valva aórtica.

Por mais que pareça arriscado a perfuração de vasos calibrosos no retroperitônio, os dados iniciais das coortes europeias e americanas não apontam complicações hemorrágicas relevantes agudas ou que demandem reinternação. Metade dos casos fica com algum grau de shunt, mas a própria pressão do retroperitônio ajuda a evitar esse sangramento. Os plugs utilizados para oclusão do local de punção na aorta também demonstram ser seguros e raros casos apresentam alguma complicação.

O que essa via de acesso nos mostra é que ela seria uma outra alternativa em casos de pacientes portadores de vasculopatias graves, que não apresentem acessos arteriais adequados. Com o que temos de dados atualmente na literatura, TAVI realizado por via transcaval é seguro e apresenta bons resultados quando em comparação com os maiores trabalhos que utilizam acesso femoral convencional.

Um ponto que merece ser ressaltado é que, em geral, esses pacientes são de alto risco cirúrgico e com diversas comorbidades, não devendo ainda extrapolar esses achados para grupos de pacientes de baixo risco. Também devemos chamar atenção para a dificuldade técnica inerente a essa nova abordagem, pois em comparação com a via transfemoral, a transcaval tem um número bem menor de pacientes submetidos mundo a fora.

Literatura recomendada

1 – Costa G, De Backer O, Pilgrim T, et al. Initial European experience with transcaval transcatheter aortic valve implantation. EuroIntervention. 2019 Oct 29. pii: EIJ-D-19-00797.


Baixar Artigo

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar