Tipos de lesão valvar e fisiopatologia

Tipos de lesão valvar

A lesão valvar pode acontecer basicamente de dois tipos, insuficiência e/ou estenose. A insuficiência ocorre quando a função de evitar o refluxo de sangue está prejudicada e a estenose ocorre quando a valva não abre adequadamente e dificulta a passagem do sangue adiante. Todas as valvas do coração podem desenvolver uma insuficiência ou uma estenose e até mesmo as duas de forma concomitante.

Fisiopatologia das Valvopatias

As valvopatias, como vimos até aqui, são disfunções das valvas que levam ou a insuficiência ou a estenose da mesma. Como tal, levam o coração a uma sobrecarga de volume, nos casos de insuficiência, ou uma sobrecarga de pressão, nos casos de estenose.

Sobrecarga de volume
A sobrecarga de volume leva a uma dilatação das cavidades para poder acomodar o excesso de sangue que passa nessas câmaras. No caso de uma insuficiência mitral importante, encontraremos uma dilatação do átrio esquerdo, bem como uma hipertrofia excêntrica do ventrículo esquerdo. O mesmo ocorre de forma contralateral na insuficiência tricúspide.

Na insuficiência aórtica, o ventrículo esquerdo é o que sofre a sobrecarga de volume de forma isolada, quando a valva mitral está competente. O mesmo também apresenta dilatação em casos de valvopatia avançada, podendo ter um átrio esquerdo ainda de dimensões normais.

Sobrecarga de pressão
A sobrecarga de pressão leva a uma hipertrofia da cavidade acometida. No caso de uma estenose aórtica, encontramos uma hipertrofia concêntrica do ventrículo esquerdo. Em fases muito avançadas, quando os mecanismos compensatórios apresentarem franco desequilíbrio, podemos ver dilatação da cavidade, mas antes disso, os diâmetros, em geral, estão preservados.

A estenose mitral leva a uma sobrecarga pressórica do átrio esquerdo com sua consequente dilatação. Como as veias pulmonares não apresentam válvulas, a pressão é transmitida de forma retrógrada ao lado direito do coração com surgimento de hipertensão arterial pulmonar e possível repercussão do lado direito do coração.

Inicialmente hipertrofia concêntrica do ventrículo direito e tardiamente, como no lado esquerdo, podemos ter dilatação das cavidades de forma semelhante.

Literatura recomendada
1 – Braunwald, Eugene. Tratado de medicina cardiovascular. 10ª ed. São Paulo: roca, 2017. v.1 e v.2.

Deixe um Comentário

Privacidade e cookies: Este site usa cookies. Ao continuar no site você concorda com o seu uso. Para saber mais, inclusive como controlar cookies, veja aqui: Política de cookie

As configurações de cookies deste site estão definidas para "permitir cookies" para oferecer a melhor experiência de navegação possível. Se você continuar a usar este site sem alterar as configurações de cookies ou clicar em "Aceitar" abaixo, estará concordando com isso.

Fechar